Páginas

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Fulô - a origem do nome do Blog

Volta e meia me perguntam: por que Casa de Fulô

Casa de Fulô nasceu com este Blog em 2012, e foi através de uma enquete, que fiz pelo Facebook (hoje não faço a mínima ideia de como faria isso novamente! rs).

O Blog foi criado para registrar e compartilhar minhas peraltices como arteira de plantão. Na época, saí criando e recriando coisas pra ocupar meu tempo em casa, sem fazer a mínima ideia de que isso viria se tornar meu ofício e meu trabalho mais pra frente (mais precisamente em 2014). 

Alguns dos meus amigos sempre me chamaram pelo meu sobrenome Flôr... Era Flôr pra lá, Flôr pra cá... e a minha casa, era simplesmente a Casa da Flôr.  Diante disso, esse foi um dos 3 nomes finalistas da enquete e foi o nome eleito, mas achei que não era um nome sonoro pra colocar em um blog, daí lembrei da história que meus tios maternos e minha mãe (saudosa!) contavam sobre meu avô materno, "Seu" João Flôr.  

Cresci ouvindo que Fulô era como meu avô materno (que era alagoano) costumava pronunciar nosso sobrenome (sim! Pois o Flôr ao contrário do que todo mundo acredita, é meu sobrenome!). 

O mais engraçado dessa história é que nunca o escutei pronunciar Flôr dessa forma (ele faleceu 2 anos antes de eu nascer) mas toda vez que eu leio "Casa de Fulô", é como se eu ouvisse ele falar, mesmo sem nunca ter escutado a voz dele.

Por isso tudo, o nome do meu Blog e posteriormente do meu Ateliê, me remete à estar em família, em casa, com os meus... esse nome me remete a algo tão familiar, emocional e pessoal, que é um xodó só carregar esse nome comigo em algo que eu faço! 

Para trilha sonora desse post escolhi esse sonzinho do Zé Gonzaga "Pisa na Fulô"  que me transporta para os encontros da minha família, da bagunça boa de estar todo mundo junto, da falação, das risadas e das brincadeiras... Desse encontrão de uma família um terço alagoana, um terço mineira, um terço fluminense e totalmente brasileira!!!!  

De uma coisa depois de tudo isso tenho certeza:

"Eu sou parte de tudo o que encontrei em meu caminho".
(Alfred Tennyson)


Beijinhos e até o próximo post :*


quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Encontro Precioso


Olá Pessoas :) 

Nessa semana aconteceram coisas incríveis. A semana iniciou com a participação do meu Ateliê numa feira aqui na cidade: a Feira do Produtor. 

 Uma feira muito bacana, que me ajudou a pensar mais sobre meus produtos e meu público... isso mesmo, pensar sobre vocês que acompanham meu trabalho e que curtem os passos que dou aqui do outro lado!

Pois então, nessa feira tinha muita gente do bem, cheia de energia boa e de produtos fora de série: produtos orgânicos, handmadesustentáveis, cheios de personalidade e com a cara do artesão que a produziu, ou seja, bem com tudo aquilo que estou em busca!

E não é que no meio desse espaço cheio de gente, conheci duas pessoas, a Ana Paula e o Renan do Arte em família, que eram as pessoas certas, na hora certa, com as palavras certas! Ouvi o que precisava para continuar acreditando que tô no caminho para o encontro do que eu busco (NOOOSSSSSSAA! Isso ficou BEMMM profundo! Ao meu estilo dramático, pode-se dizer de passagem, rs!)

Eu, no meu humilde achismo (Sim! Porque ainda não peguei nada para ler a respeito!), acredito que nesse momento me abri para essas novas experiências e o mundo tem conspirado ao meu favor...

Depois de uma conversa muito boa, produtiva, de reconhecimento e muita troca boa de experiências, eis que ganho um presente: UMA ABAYOMI (que eram bonecas de pano feitas pelas mães africanas "Para acalentar seus filhos durante as terríveis viagens a bordo dos tumbeiros – navio de pequeno porte que realizava o transporte de escravos entre África e Brasil – as mães africanas rasgavam retalhos de suas saias e a partir deles criavam pequenas bonecas, feitas de tranças ou nós, que serviam como amuleto de proteção. - Fonte: Geledés Instituto da Mulher Negra.)

Minha Abayomi, pra me lembrar dos 
encontros Preciosos da Vida
Eis que descubro o significado do nome ABAYOMIEncontro Precioso

Posso parar por aqui, minha explicação, né?!

Então, naquele momento me dei conta de que os encontros da vida às vezes também são (preciosos!), pois esse me fez voltar pra casa pensando em tudo o que tenho produzido e deixado na gaveta...

São tantas ideias, tantas coisas minhas que tem se perdido no caminho por abrir mão daquilo que acredito...

 Enfim, me dei conta de que o chamado que tenho feito aqui, tá sendo atendido aos poucos. Tive conexões com muitas pessoas por esses dias que tem me dado um feedback (aquele retorninho básico!) que tanto tenho solicitado.

Chamado só começou e continua. 

Contribua com sua opinião aqui no blog, no insta, no face, no e-mail, pessoalmente, enfim... e me ajude a fazer melhor para você. 

Depois de toda essa história tão graciosa, acredito que posso contar contigo né?!

Nos encontramos em breve então.

Besitos da Flôr ;*


PSiu1: Se quiser saber mais sobre a Abayomi segue o link: Geledés - Instituto da Mulher Negra

Psiu2: Continue acompanhando a gente no Insta (@casa.fulo) e curta nossa página no Face (@ateliecasadefulo)

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Como havia de ser....

Oiee

E como havia de ser, algumas mudanças já começaram!!!
Por aqui nasceu no mês de Aniversário uma crise e milhares de ideias... A primeira delas foi a criação dos fofíssimos mascotes do Ateliê casa de Fulô: os Fuleirinhos!!!!

Esses monstrinhos fofos, foram o início de um processo do criar junto...Sim uma criação conjunta com meu marido e meus filhos, que deram pitacos intensos desde da idealização, os nomes e nas formas (Sim! Eles criticaram e sugeriram durante todo o processo!). Como também fizeram de alguma forma, parte da história de cada Fuleirinho

Tem sido um processo constante, que já gerou novos (já nasceram novos monstrinhos, nas histórias e nos desenhos!), pois esse processo criativo não é só meu e percebo que ele tá em movimento!

É um processo compartilhado e que agrega valor ao produto e que cria uma relação afetiva e intensa com cada um dos Fuleirinhos...E uma coisa posso afirmar pra vocês: Eita coisinha gostosa e prazerosa essa! Muito bom ter gente que acredita no que a gente faz, fazendo junto com a gente! (quantas vezes podemos repetir a palavra GENTE numa mesma frase???)

E por aqui continuo o Chamado...
Vem fazer parte do Ateliê Casa de Fulô, vem dar seu pitaco, dizer o que pensa pra eu poder fazer do meu negócio um processo coletivo de criação!!! 

Continuo te aguardando hein!!!


PSiu: Segue a gente nas redes!

Instagram: @casa.fulo

terça-feira, 30 de agosto de 2016

O Chamado


“É chegado o tempo de se reinventar, de parar e analisar o que deu certo e o que precisa ser modificado...”

Todo ser humano passa por esse processo e ele é cíclico, pois estamos mudando diariamente e criando novas possibilidades para nós mesmos...

Dizem que após a chuva vem a “abonança”, se de fato isso na vida no campo é verdadeiro, sinceramente não sei, mas sei que após uma tempestade de sentimentos e de uma crise pessoal chega a hora de tomar o timão nas mãos novamente e guiar o barco de novo.

Assim é com a gente, com a nossa vida e sinto que também é com meu negócio criativo... chegou a hora de reinventá-lo novamente, aproximá-lo daquilo que realmente espero de um negócio meu pra chamar de MEU!

To reestruturando de novo, percebi o que funcionou, o que não dá mais pra ficar...senti a necessidade de mudança novamente. E dessa vez conto com meus clientes, amigos, parentes e quem mais quiser (e estiver Disposto!) de me dar essa mãozinha, pezinho, soco no estômago, ou o que mais precisar pra me ajudar a pensar mais sobre o caminho.

É hora mais do que nunca de deixá-lo ainda mais com minha cara, com minha marca, com meu jeito e porque não do Nosso Jeito.

Esse é meu chamado, chamado pra VOCÊ me ajudar a mudar, a PENSAR JUNTO, a deixar o Ateliê Casa de Fulô do jeitinho que A GENTE gosta!!!

Vale dar pitaco de todo tipo: desde tecidos que uso, o acabamento das minhas peças, embalagem dos produtos, tipos de produto, até na minha forma de divulgá-los. 

Meu chamado é pra Você que quer fazer parte da história do Ateliê Casa de Fulô e quer ajudar a escrever em um novo capítulo dessa minha dessa nossa história juntos!

Vem fazer parte dessa rede, vem fazer parte dessa história!!!!

Conto com você!!!

Beijinhosss e te espero na fanpage @ateliecasadefulo e no Insta @casa.fulo que seguem com novidades!

domingo, 17 de julho de 2016

O Retorno - parte 2


Olá Pessoas!!!

Quase um ano depois eu volto a escrever nesse espaço, que foi e continuará sendo o espaço de trocar figurinhas, de prosear, de deixar a vida mais leve.

Meu cantinho de trabalho - Ateliê Casa de Fulô
Hoje tenho um ateliê fofo, que tem ficado cada dia mais com a minha cara, assim como minha marca que to moldando de pouquinho em pouquinho, encontrando minha identidade...

Sou uma pessoinha que vive com a cabeça nas nuvens e cheia de ideias pipocando todos os dias...

Há uns dias atrás, decidi aderir ao desafio espaçonave da Rafaela Cappai (que é genial, diga-se de passagem. Quem quiser conferir o trabalho dela entre no link http://www.espaconave.com.br/ ), o #30ideias30dias e... FAILED!!!!

Pois é, como diz meu marido FAIÔ ... e "faiô bunito"! Engasguei no 10º dia e depois de novo no 14º e até agora não retomei...

Bom, aí resolvi juntar o útil ao agradável e ganhar tempim - sabe aquele tempim malandro que a gente se dá de vez em quando?! -  pois é, o famoso do jeitinho brasileiro...rs. Decidi, postar aqui no blog meu desafio (por enquanto só os 14 que fiz!) e com isso me motivar a terminar os outros 16, (quem sabe!).

Então é isso aí, retomando o blog e meu desafio #30ideias30dias em 3,2,1...


O desafio desafiador começa no próximo post, a gente se vê...

Besitos

Psiu: Quem quiser me seguir no insta @casa.fulo e quem quiser conferir minha página no face @ateliecasadefulo